Livros On-line

Livros de Sir Robert Anderson (1841-1918)

O PRÍNCIPE QUE HÁ DE VIR

Um estudo clássico sobre o livro de Daniel, especialmente o Capítulo 9, a extraordinária profecia das Setenta Semanas. Artigo patrocinado

O SENHOR DO CÉU

Um estudo sobre a Divindade do Senhor Jesus Cristo. — Novo em 26/9/2005Artigo patrocinado

A GLÓRIA DO SEU NOME

Por que usamos o nome de Sua humilhação se Ele é agora o Senhor dos senhores? — Novo em 2/10/2005Artigo patrocinado

Sobre o Autor

Embora de ascendência escocesa, Sir Robert Anderson nasceu em Dublin (Irlanda), em 29/05/1849. Seu pai, Mathew Anderson, exercia a função de "Crown Solicitor" (Solicitador da Coroa) na capital irlandesa, tendo sido um eminente presbítero na Igreja Presbiteriana da Irlanda.

Em 1863, Sir Robert Anderson foi convocado para o Tribunal Irlandês. Em 1865, começou a assessorar o governo irlandês no interrogatório de prisioneiros e na preparação de documentos legais. Em 1873, casou-se com Lady Agnes Moore, irmã do Duque de Drogheda, um verdadeiro acerto nos dois sentidos.

Em 1877, o seu conhecimento especial nos meandros da conspiração o levou a ser nomeado Agente Irlandês do Escritório Nacional e, em 1886, quando Londres estava apavorada com o caso de "Jack, o Estripador", ele foi trabalhar na Scotland Yard como Comissário Assistente da Polícia Metropolitana e Chefe do Departamento de Investigação Criminal.

Nesse tempo, Arthur Conan Doyle estava divertindo Londres com suas histórias sobre Sherlock Holmes, mas eram Sir Anderson e sua equipe que estavam libertando a cidade dos crimes e dos criminosos, tanto que, segundo registros da época, a criminalidade diminuiu consideravelmente em Londres. Sir Robert ocupou esse cargo até 1901, quando foi sagrado Cavaleiro e se aposentou, aos 60 anos de idade.

W. H. Smith declarou na Casa dos Comuns que Sir Anderson "havia desempenhado os seus deveres com grande habilidade e perfeita fidelidade ao público. Raymond Blathwayt em sua obra Great Thoughts (Grandes Pensamentos), escreveu: "Sir Robert Anderson é um dos homens a quem o país, mesmo sem conhecer, tem um grande débito".

Ele foi especialmente ligado aos maiores mestres do seu tempo, incluindo James M. Gray. C. I. Scofield, A. Dixon e E. W. Bullinger.

Às 11 horas do dia 15 de novembro de 1918, ele passou, calmamente, à presença do Senhor que ele tanto amava.

Como autor o seu nome prevalecerá entre as futuras gerações. Seus livros em geral: Criminals and Crimes (Criminosos e Crimes), Side Light on the Home Rule Movement (O Lado Claro do Movimento do Governo do Lar) e The Lighter Side of My Official Life (O Lado Mais Claro de Minha Vida Oficial), tratando principalmente das coisas temporais, talvez não consigam sobreviver. Porém os seus volumes de Estudos Bíblicos, os quais tratam das "coisas eternas", esses hão de perdurar.